Click here for Myspace Layouts

Translate

Pesquisa personalizada

domingo, 29 de março de 2009

Hildegard E. Peplau - Teoria das relações Interpessoais na Enfermagem





Hildegard Peplau, enfermeira, médica e educadora, nasceu em 1° de Setembro de 1909, em Reading, Pensylvania. Em sua infância, presenciou a devastadora epidemia de gripe em 1918. Esta experiência pessoal influiu enormemente sua compreensão do impacto que tem a Enfermagem e a morte sobre as famílias. Líder mundial em enfermagem, conhecida como a enfermeira do Século, morreu em 17 de Março de 1999, aos 89 anos, em Sherman Oaks, Califórnia. Peplau é a única enfermeira que prestou serviços a Associação de Enfermeiras Americanas ( ANA ), como diretora executiva, e mais tarde como presidenta. Também foi eleita para trabalhar durante dois períodos na Junta Diretiva do Conselho Internacional de Enfermeiras ( ICN ) Em 1997, recebeu a maior honra em enfermagem, o Prêmio Christiane Rumann, no Congresso Quadrienal da ICN.


Esta distinção se outorga a cada quatro anos por contribuições nacionais e internacionais sobressalentes em Enfermagem e cuidado a saúde. Um ano antes, a Academia Americana de Enfermagem lhe havia feito uma homenagem como Lenda vivente. Em 1998, a Associação de Enfermeiras Americanas a colocou no Salão da Fama da ANA. Contribuição para evolução da Enfermagem A teoria de enfermagem de Peplau, o processo interpessoal, fundamentam-se em teorias de interação. Sua contribuição, no campo da enfermagem, dá-se nas áreas da prática clínica, na teoria e na pesquisa, trazendo acréscimos à base de conhecimentos em enfermagem. Sua teoria, desta maneira, cria uma visão singular de compreensão da relação enfermeiro-paciente. Peplau é reconhecida mundialmente como a Mãe da Enfermagem Psiquiátrica. Seu trabalho teórico e técnico conduziu ao desenvolvimento de um campo distinto de especialização: Enfermagem Psiquiátrica.


O primeiro livro de Peplau, "As relações interpessoa's na enfermagem", foi terminado em 1948, porém só foi publicado quatro anos depois, pois naquele momento, foi considerado muito revolucionário que uma enfermeira publicasse um livro sem que um médico fosse co-autor. O livro de Peplau tem sido amplamente acreditado com a transformação da Enfermagem, que passou de um grupo de trabalhadoras experientes, para ser uma profissão com grande desenvolvimento. Desde a publicação do trabalho de Peplau, o processo interpessoal tem sido integrado a educação e a prática da enfermagem, nos Estados Unidos e no exterior. Por isto, o trabalho e a vida da doutora Peplau, produziram as maiores mudanças na prática da Enfermagem, depois de Florence Nightingale. Entre 1943 e 1945, Peplau sentou-se a mesa com muitos destes homens, para trabalhar na reestruturação do Sistema de Saúde Mental nos Estadas Unidos, de onde surgiu a Ata de Saúde Mental Nacional de 1946. Trabalhou como professora da Faculdade de Enfermagem de Rutgers, entre 1954 e 1974. Ali, criou o primeiro programa de pós-graduação, com preparação de especialidades clinicas em Enfermagem Psiquiátrica.


Em suas apresentações e conferências para treinamento clinico, peplau lutou vigorosamente para que as enfermeiras tivessem maior educação assim pudessem dar um verdadeiro cuidado terapêutico aos pacientes. Em 1952, a enfermeira, médica e educadora, Hildegard E. Peplau, escreveu um livro que revolucionou o ensino e a prática da enfermagem psiquiátrica nos Estados Unidos, tendo como enfoque o potencial terapêutico do relacionamento de pessoa para pessoa. Desde então, a enfermagem psiquiátrica vem ampliando sua visão utilizando os conceitos originalmente propostos por Render e Peplau.

O núcleo desta teoria é o processo interpessoal que consiste nas fases de orientação, identificação, exploração e resolução. Este processo é influenciado pelas percepções individuais do paciente e do enfermeiro.

É um processo de reabilitação, não se pode trabalhar com percepções individuais, mas interdisciplinares e familiares.

Foco: Relação interpessoal Enfermeiro/Cliente

Homem: Indivíduo que luta para reduzir a tensão gerada pelas necessidades

Saúde: É um símbolo que implica movimentos adiante da personalidade e outros processos humanos em curso, na direção de uma vida criativa, produtiva, pessoal e comunitária

Ambiente: Considera cultura e costumes do cliente no ambiente hospitalar

Enfermagem: Processo interpessoal, significativo e terapêutico, onde o enfermeiro é capaz de reconhecer a necessidade de ajudar o cliente a reagir a ela

Um comentário:

Anônimo disse...

Por favor, gostaria de saber a referência que vc usou nesse artigo da biografia de Peplau...

Política de privacidade

" O conteúdo das matérias desse portal é de caráter meramente ilustrativo e informativo. Nenhuma informação obtida a partir deste conteúdo , deverá substituir , do ponto de vista ético ou legal , a orientação de um médico ( ou de outro profissional da área da saúde ) , em relação aos aspéctos preventivos, diagnósticos e de tratamento , das diversas doenças ou condições clínicas " .

Não é finalidade deste portal a análise, comentário ou emissão de qualquer tipo de diagnóstico aos usuários, tarefa esta reservada unicamente ao seu respectivo médico de confiança, como também não é finalidade deste portal republicar artigos como sendo de minha própria autoria, ou mesmo para fins lucrativos, comerciais. Este site tem apenas a finalidade de transmitir informações interessantes a leigos e profissionais de saúde como forma de esclarecimento, dando sempre créditos aos seus autores, sem nenhum fins lucrativos.

Tenho referenciado todos os textos com autoria e fonte. Quando possível publico também o site e informações de contato do autor. Se você deseja usar algum texto publicado nesse portal, por favor, referencie. Informe com clareza a autoria e a fonte.






"O futuro pertence aqueles que acreditam na beleza de seus sonhos..."

"Amar ao próximo é amar a si mesmo." Fonte: médicos sem fronteiras.


So Enfermagem

.
Márcia Florêncio. Tecnologia do Blogger.